sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Crítica de choque


Realizar uma crítica é um processo complexo.

Interpretar e qualificar o trabalho de outra pessoa necessita de parâmetros sólidos. A imparcialidade confere mais credibilidade; o conhecimento ajuda na qualificação. Diriam alguns que o crítico precisa "ter moral" para fazer seu comentário.

Fazer auto-crítica é uma necessidade primordial.

Fotógrafos em fase de aprendizagem necessitam domar a ansiedade e o fascínio pela imagem fácil. Não podem aceitar o elogio mecânico, a adulação diplomática, muito menos achar que seu padrão de qualidade se baseia nesse tipo de comentário.

E receber uma crítica também é um processo complexo.

Por maior que seja a dificuldade para se obter uma imagem, uma crítica negativa justificada nunca é sinal de fracasso. O profissionalismo e a necessidade pessoal de evolução precisam suplantar o ego e seus desejos de reconhecimento.

Para isso existem blogs como o Fotoglobo. Na página, organizada pelos fotógrafos do jornal "O Globo", amadores investem em um tipo de "terapia de choque", onde recebem críticas fortes das imagens que enviam de espontânea vontade.

Sim, existem elogios, mas a forma direta e franca dos comentários revelam erros que podem ser facilmente assimilados e futuramente evitados.

Uma metodologia contundente, mas eficiente para quem quer crescer.

Produção de Bruno Scartozzoni.

Um comentário:

Marcio Eugenio disse...

Semanalmente recebo solicitações atraves do meu blog para avaliar fotos e/ou portifolios.

Sempre avalio as fotos de forma muito tecnica e critica, sugiro melhorias, indico artigos para ajudar, mas depois da minha avaliação as pessoas somem... Esses dias até recebi um e-mail desaforado de volta, minha resposta foi direta e curta: "Se você quer ouvir só elogios, recomendo na proxima vez pedir a opinião para a sua mãe".

Sei que é dificil aceitar criticas, mas, sem dúvida, é o caminho mais rapido para evoluirmos.

[]s
Grande artigo!
Marcio